A iniciativa designa-se “Rota do Volfrâmio e do Estanho - História e Memória das Comunidades Mineiras” e tem já assegurado parte do financiamento. O projeto aposta na valorização turística com a criação de percursos e a requalificação de alguns espaços associados às minas para centros interpretativos.

Minas da Panasqueira
Cabeça do Pião créditos: andarilho.pt

Um deles é a Lavaria do Cabeço do Pião, um lugar espantoso pela transformação operada pelo homem. Vão também ser abertas ao público algumas galerias. A expectativa é que em setembro do próximo ano já esteja concluída a fase das obras de requalificação.

Minas da Panasqueira
Escombreira em redor de Barroca Grande créditos: andarilho.pt

No presente, a visita às Minas já constitui uma experiência única. Deslumbrante. Pela dimensão, pelas enormes escombreiras que parecem montanhas, pelo esforço do homem que há mais de um século revolve a terra para explorar o volfrâmio. Tudo isto impressiona.

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

Na estrada de acesso à aldeia de S. Francisco de Assis e depois à Barroca Grande, onde está a boca da mina, somos permanentemente surpreendidos pela dimensão do território que desde 1886 está a ser transformado pela mão do homem.

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

Um exemplo, desde a Segunda Grande Guerra, quando teve maior exploração com 10 mil trabalhadores, já se produziram mais de 100 mil toneladas de concentrado de volframite.

Ficamos impressionados em particular com a montanha de matéria extraída e que está Cabeça do Pião, junto ao Zêzere e com o anel amarelo e castanho que circunda a Barroca Grande. Provoca uma reacção confusa. Ficamos sem saber se protegem ou ameaçam o bairro residencial e as minas onde agora trabalham cerca de 300 pessoas.

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

O efeito visual é fantástico. Surpreende de imediato olhar. Joana Campos, presidente da Junta de Freguesia, afirma que as escombreiras são procuradas por gente de vários países e já serviram de pista para desportos radicais – "tivemos experiências de esqui e motards que desceram montes de gravilha com 150 metros de altura".

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

"Foram experiências muito interessantes e que poderiam ser melhor aproveitadas.”

Joana Campos tem muitos familiares ligados à mina. O seu pai até foi o impulsionador do Museu Mineiro onde está retratada a história da mina.

Minas da Panasqueira
Gasómetro – Museu Mineiro créditos: andarilho.pt

As instalações são uma enorme peça metálica. Um antigo depósito de combustível que imita um gasómetro, o instrumento que iluminava os mineiros. Nos três pisos da estrutura estão expostos vários objectos.

Minas da Panasqueira
Museu Mineiro créditos: andarilho.pt

Os visitantes podem ainda percorrer uma galeria escavada pelos mineiros há 120 anos, com cerca de 60 metros e que pretendem ampliar.

Descreve Joana Campos que os visitantes “entram na galeria, colocam o capacete e usam uma lanterna. Através do percurso ficam com uma ideia do que é a vida de um mineiro dentro de uma mina.”

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

O Museu é uma iniciativa da Junta de Freguesia que defende uma aposta no turismo porque a “mina não é eterna”.

Num passado recente Joana Campos alertava para a falta de apoios e necessidade de maior promoção deste património, para além da que é feita pela Freguesia e por alguns visitantes – “ficam encantados e muitos regressam”.

Minas da Panasqueira
Bairro mineiro na Barroca Grande créditos: andarilho.pt

O presente da mina sofreu alterações significativas do ponto de vista laboral e das condições de trabalho. Quem foi mineiro nas Minas da Panasqueira, há várias décadas, guarda memórias negativas. Da experiência própria e dos familiares.

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

No acesso às minas encontramos alguns bairros e instalações industriais que estão a laborar longe do rebuliço de décadas atrás.

Minas da Panasqueira
Memória da extracção mineira em S. Francisco de Assis créditos: andarilho.pt

Mesmo na Barroca Grande o ambiente é distendido. Ouve-se o roncar de máquinas cujas passadeiras transportam o minério mas o resto é um vale de silêncio.

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

O bairro, quase deserto, e o anel que circunda a povoação marcam o registo industrial mas parece que os ponteiros do relógio pararam há muito tempo.

Minas da Panasqueira
créditos: andarilho.pt

A formalização do projeto “Rota do Volfrâmio e do Estanho - História e Memória das Comunidades Mineiras” entre o Turismo de Portugal e os municípios do Fundão e Covilhã realiza-se esta quinta-feira, 6 de agosto, na Barroca Grande e conta com a presença da secretária de Estado do Turismo.

Aqui encontra informação detalhada sobre as Minas da Panasqueira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.